Buscar:

Envie textos e fotos: WhatsApp (22) 9 9709-9308

Envie WhatsApp para (22) 9 9709-9308

Ginecologista e obstetra, Domingos Mantelli aponta quais são mitos e verdades
A gravidez, para muitas mulheres e homens também, é um grande desafio. São tantas as dúvidas que, muitas vezes, a mulher não sabe se acredita ou não nos ditos populares que a família e os amigos contam. Para desmistificar e sanar essas preocupações, o ginecologista e obstetra, Domingos Mantelli, autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra” revela alguns mitos e verdades que envolvem a gestação:


1. Gestantes podem tomar pequenas doses de bebida alcoólica?

Mito. O álcool deve ser evitado durante toda a gestação. Não há dose considerada segura. Há relatos de mulheres que ingeriram quantidade pequenas e tiveram bebês com síndrome alcoólica fetal, que traz graves problemas às crianças.

2. Alimentos crus estão proibidos?

Depende. Peixes com procedência garantida normalmente não oferecem riscos. É preciso ficar atento somente à contaminação por mercúrio do atum geralmente. Já a carne vermelha crua, usada para pratos como o kibe cru, pode ser vetor de toxoplasmose, doença relacionada a malformações fetais que podem causar, entre outros problemas, surdez e alterações visuais.

3. Falta de ar na gestação é comum?

Sim. A falta de ar na gestação costuma ser mais comum no terceiro trimestre, já que o crescimento do útero empurra os outros órgãos para cima e comprime os pulmões, diminuindo sua capacidade de expansão, o que provoca falta de ar até mesmo com os mínimos esforços. Já a falta de ar persistente e no início da gravidez pode ser decorrente de uma crise asmática, broncoespasmo ou pneumonia e precisa ser investigada.

4. Gestante precisa comer por dois?

Esta é uma crença popular. Engordar é um processo natural e ela não precisa aumentar a quantidade de alimentos comparada ao de costume, mas ela precisa comer em horários adequados. Caso ela tenha uma vida muito ativa, como trabalho e atividades físicas, deve-se ingerir um pouco mais de carboidratos. Assim, ela ganha mais energia. Mas não precisa comer por dois. O recomendado é que a gestante engorde entre 10 e 12 quilos, não mais do que isso. Esse controle, é importante porque bebês de mulheres que engordam demais na gestação correm o risco de desenvolver doenças como diabetes, doenças cardiovasculares e renais, obesidade na vida adulta e hipertensão.

Dr. Domingos Mantelli

Ginecologista e obstetra, com formação em neurolinguística e atuação na área de medicina psicossomática. É formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA), com residência médica na área de ginecologia e obstetrícia pela mesma instituição. Também é autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”.

Compartilhe

Leia matéria completa

Anuncie Conosco

(22) 9 9709-9308

E-mail:

VerboTec Desenvolvimento e Tecnologia.